Total de visualizações de página

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

VESTIBULAR UEMA NET

Curso à distância pela a Uemanet.
Para o polo de Pedreiras teremos 30 vagas para Pedagogia, 30 vagas Geografia e 30 vagas pars Administração Pública.

domingo, 4 de setembro de 2016

Professores da Regional de Pedreiras vão às ruas cobrar reajuste dado pelo Gov. Federal dado em janeiro

Uma breve história aos leitores deste blog:

 Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo no tipo de comida que haveria ali.
Ao descobrir que era uma ratoeira ficou aterrorizado.
Correu ao pátio da fazenda advertindo a todos:
- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa !!
A galinha disse:        
- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.
O rato foi até o porco e disse:
- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira !
- Desculpe-me Sr. Rato, disse o porco, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser orar. Fique tranquilo que o Sr. Será lembrado nas minhas orações.
O rato dirigiu-se à vaca. E ela lhe disse:
- O que ? Uma ratoeira ? Por acaso estou em perigo? Acho que não !
Então o rato voltou para casa abatido, para encarar a ratoeira. Naquela noite ouviu-se um barulho, como o da ratoeira pegando sua vítima.
A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego.
No escuro, ela não viu que a ratoeira havia pego a cauda de uma cobra venenosa. E a cobra picou a mulher… O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre.
Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja de galinha. O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.
Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la.
Para alimentá-los, o fazendeiro matou o porco.
A mulher não melhorou e acabou morrendo.
Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro então sacrificou a vaca, para alimentar todo aquele povo.
Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito, lembre-se que quando há uma ratoeira na casa, toda fazenda corre risco. O problema de um é problema de todos.
Professor Barreto uma bandeira de luta.
Pois é, os professores hoje estão diante de um problema e a única forma de resolvê-lo é através da luta e isso é o que sempre fazemos, mas o que me preocupa são as pessoas que representam a galinha, o porco e a vaca dessa fábula, que acham que isso não é problema deles. Palavras como vão trabalhar!, Isso é armação politica ouvimos. Companheiros que ao invés de nos ajudar ou estavam em passeatas ou em casa, porque o problemas não era deles, mas até quando não vai ser? Até o próximo ano? Será que o nosso próximo gestor municipal vai comungar das mesmas ideias do governador? Pensem companheiros.
Bem, todos querem saber se houve ou não violência aos professores na manifestação de ontem. Eu Jânio Matos de Oliveira digo que sim, violência aos nossas direitos, violência à nossa moral quando pessoa passa em seus carros e mandam nós trabalharmos e violência física quando empunhávamos nossa faixa e vem um grupo de desiquilibrados empurrando a força bruta os professores para abrir caminho para o carro do governador passar. Isso é violência da mais covarde possível.
Quanto ao vídeo que tenho, este só mostra a continuação dos atos de violência, que foi quando os professores foram empurrados um militante do PC do B, Henrique, partido do governador, se revoltou contra tal ato, pois a maioria eram mulheres, ele partiu em defesa e parti daí gerou todo um tumulto, que se não fosse a presença da câmera poderia ser bem pior.
Confiram fotos:







VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.