Total de visualizações de página

sábado, 1 de dezembro de 2012

Pesquisa diz que 40% dos jovens não confiam na proteção da camisinha


Pesquisa brasileira que ouviu de 1.208 pessoas com idades entre 18 e 29 anos de 15 estados aponta que 40% dos jovens do país acreditam que a camisinha não protege de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como a Aids, ou de uma possível gravidez.

Segundo a “Agência Brasil”, que divulgou os dados, as informações são parte da pesquisa “Juventude, Comportamento e DST/AIDS” que foi elaborada pela Caixa Seguros, com apoio do Ministério da Saúde e da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). A divulgação oficial da pesquisa deve ocorrer na próxima semana.
O estudo aponta que 91% dos entrevistados já fizeram sexo alguma vez, 36% não usaram preservativo na última vez que tiveram relações sexuais e apenas 9,4% foram a um centro de saúde nos últimos 12 meses para obter informações ou tratamento para DSTs.
A pesquisa também fornece dados sobre o desconhecimento do brasileiro sobre a Aids e a transmissão do vírus HIV. Um em cada cinco jovens entrevistados acredita ser possível contrair a doença utilizando o mesmo talher ou copo de quem está infectado; já para 15% dos entrevistados, enfermidades como malária, dengue, hanseníase ou tuberculose são DSTs.
Ministério está preocupado com homossexuais mais jovens
Dados divulgados pelo Ministério da Saúde em novembro apontam um crescimento dos casos de Aids entre os jovens, especificamente entre os homossexuais com idade entre 15 e 24 anos.  Em 2002, homoafetivos com essa faixa etária eram pouco menos de 40% dos casos. Atualmente, essa mesma camada da população já ultrapassou os 50% dos casos.
Ainda de acordo com o governo federal, com informações do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre o HIV/Aids (Unaids), o Brasil tem atualmente entre 490 mil e 530 mil soropositivos. Dado anterior, de 2010, utilizado pelo governo até então apontava que o país abrigava 630 mil infectados.
A região com a maior concentração de casos da doença no país é o Sudeste, com 43,8% do total. Porém, na taxa de incidência por habitante, a doença aparece mais nos estados do Sul – o Rio Grande do Sul lidera a lista, com 40,2 casos para 100 mil habitantes, seguido pela Santa Catarina, com 36,4. O vírus é mais comum nas cidades maiores – acima de 500 mil habitantes –, e tem seus menores índices nos municípios com menos de 50 mil pessoas.

Maioria ignora camisinha em primeira relação sexual
Em setembro, pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) feita em quatro capitais brasileiras apontou que 73% dos brasileiros não usaram nenhum método contraceptivo em sua primeira relação sexual. Entre as pessoas que se preveniram, 26% usaram apenas a pílula ou o coito interrompido, deixando a camisinha de lado.
O dado é preocupante porque a camisinha é o modo mais importante de prevenção contra as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), dizem especialistas. Para o líder da pesquisa, a falta de cuidados na primeira vez está ligada ao comportamento típico dos adolescentes.
“O adolescente age por impulso, é da natureza dele”, afirmou Afonso Celso Pinto Nazario, chefe do departamento de ginecologia da Escola Paulista de Medicina, da Unifesp.
Nazario acredita ainda que os jovens tenham relaxado em relação à prevenção contra o HIV. “Como hoje a Aids não é mais letal, houve uma afrouxada do medo”, apontou o especialista.
Na avaliação dele, a melhor forma de incentivar o uso do preservativo é por meio de campanhas de divulgação. “É uma atividade constante de informação”, disse Nazario. “Como [as pessoas] relaxam, tem que martelar sempre”, completou.
A pesquisa ouviu 3 mil homens e mulheres em Belo Horizonte, Curitiba, Recife e São Paulo, sendo 750 em cada cidade. O objetivo inicial era avaliar os riscos da gravidez na adolescência, um “problema” comum no Brasil.
“A gravidez na adolescência é um problema social e econômico”, afirmou o professor da Unifesp. “A mulher grávida adolescente vai ter que retardar várias metas da vida”, completou. Ele apontou dificuldades médicas que as adolescentes gestantes enfrentam, como o maior número de partos prematuros e cesarianas. O estudo foi conduzido pela Unifesp em parceria com a farmacêutica Bayer.
Estudantes formam o símbolo da luta contra a Aids durante ação realizada em Taipei, em Taiwan (Foto: Pichi Chuang/Reuters)
FONTE: g1.globo.com/bemestar/


sábado, 24 de novembro de 2012

TUDO SOBRE AS POSIÇÕES DAS ESCOLAS DO MARANHÃO NO ENEM 2011 COM DESTAQUE PARA AS ESCOLAS DE PEDREIRAS



Colégio Batista e Colégio São Francisco figuram entre as 35 melhores escolas do Maranhão segundo dados do MEC.
COL BATISTA ELEUTERIO ROCHA  32º colocado
COLEGIO SAO FRANCISCO               34º colocado                                                                                   

Confira os 20 melhores colégios do Maranhão segundo o Enem por Escola; só uma é pública

Escola
Cidade
Rede
Nota
CENTRO EDUCACIONAL MONTESSORIANO REINO INFANTIL
SAO LUIS
Privada
643,62
JARDIM ESCOLA CRESCIMENTO LTDA
SAO LUIS
Privada
619,81
COL EDUCATOR LTDA
SAO LUIS
Privada
616,16
CENTRO DE ENSINO UPAON-ACU
SAO LUIS
Privada
596,64
COLEGIO DOM BOSCO LTDA
SAO LUIS
Privada
596,01
INSTITUTO FEDERAL DO MARANHAO - CAMPUS SAO LUIS-MONTE CASTELO
SAO LUIS
Federal
587,26
COLEGIO MARISTA DO ARACAGY
SAO JOSE DE RIBAMAR
Privada
585,32
INSTITUTO FEDERAL DO MARANHAO - CAMPUS IMPERATRIZ
IMPERATRIZ
Federal
581,90
COLEGIO LITERATO
SAO LUIS
Privada
576,42
CENTRO DE EDUCACAO INTERNACIONAL
SAO LUIS
Privada
571,68
COLEGIO O BOM PASTOR
SAO LUIS
Privada
568,07
COLEGIO SAO JOSE
CAXIAS
Privada
566,52
COL STA TERESA
SAO LUIS
Privada
565,09
COL STA LUZIA
IMPERATRIZ
Privada
564,68
ESCOLA SANTA TERESINHA
IMPERATRIZ
Privada
563,33
INST EDUCACIONAL SUL MARANHENSE COC
IMPERATRIZ
Privada
562,42
COMPLEXO EDUCACIONAL DOM BOSCO BALSAS
BALSAS
Privada
561,76
SISTEMA EDUCACIONAL MASTER
SAO LUIS
Privada
561,33
COL PITAGORAS SAO LUIS
SAO LUIS
Privada
560,58
CENTRO DE ENSINO GEOALPHA
SAO LUIS
Privada
557,91




  • Fonte: MEC


CONFIRA A POSIÇÃO DAS ESCOLAS DE PEDREIRAS NO RANKING NACIONAL. COLÉGIO BATISTA CONTINUA SENDO A MELHOR ESCOLA DO MÉDIO MEARIM

Posição                             Escola                                                                            Média Total
3686       COL BATISTA ELEUTERIO ROCHA                                                    537.24
3773       COLEGIO SAO FRANCISCO                                                                     535.35
5935        CENTRO EDUCACIONAL CENECISTA CORREA DE ARAUJO   496.72
9309       CE OSCAR GALVAO                                                                                   443.97
9779       UI PROFESSORA SOCORRO CANTANHEDE-CAIC                         429.26
9923       OLINDINA NUNES FREIRE                                                                      420.32

Participam do cálculo apenas as escolas que tiveram no mínimo 10 estudantes inscritos no exame em 2012, declarados no Censo Escolar e as que seus participantes representaram pelo menos 50% do total de estudantes que irão concluir o Ensino Médio na instituição de ensino.
Melhores médias

A maior nota entre as escolas do país é a do Objetivo Colégio Integrado, de São Paulo, que obteve média geral 737,152. A escola pública com a melhor nota geral é o Colégio de Aplicação da UFV (Universidade Federal de Viçosa), em Minas Gerais, com nota 704,285.
Mais Enem por Escola

    Nota média geral no Enem 2011 por escola cai 16,4 pontos em relação a 2010
    Veja as 10 melhores escolas de SP no Enem 2011; todas são particulares
    50 piores colégios do Brasil são públicos, segundo Enem por Escola; 30 estão no Nordeste

Entre as cem escolas com melhores notas no Enem 2011, apenas 10 são da rede pública de ensino. Entre elas, oito são federais, duas estaduais e nenhuma municipal.
Renda

Entre os alunos que fizeram a prova, a maioria é proveniente de famílias com renda per capita de um a cinco salários mínimos, totalizando 83,86%.

"O Enem não é um ranking de avaliação entre escolas. Ele é uma avaliação dos alunos, dos estudantes. Portanto, é insuficiente como avaliação do estabelecimento escolar, mesmo porque temos escolas cuja natureza é muito distinta”, afirmou o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, durante a divulgação dos números.

“Os melhores alunos da rede pública têm um desempenho médio superior que a rede privada”, destacou o ministro. As escolas com melhor desempenho, nas palavras de Mercadante, “são colégios com poucos alunos, de tempo integral, que selecionam os alunos [que a frequentam]”.

(*Com reportagem de Camila Campanerut, do UOL, em Brasília)


Confira as dez piores escolas do país
Entre as 10 piores escolas do Brasil 05 são do Maranhão
Escola
Cidade
Estado
Média geral
Rede
CE AQUILES LISBOA
SAO DOMINGOS DO AZEITAO
MA
383,71
Estadual
UNID ESC JOAO PEREIRA DE SOUSA
FRANCISCO AYRES
PI
391,39
Estadual
CE JOSE MARIA DE ARAUJO - ANEXO I
OLINDA NOVA DO MARANHAO
MA
393,52
Estadual
DIMAS MOZART E SILVA PROF
TAQUARITUBA
SP
394,48
Estadual
CE MARIA DO SOCORRO ALMEIDA RIBEIRO ANEXO III-LIMAO
CENTRO NOVO DO MARANHAO
MA
394,55
Estadual
CE PROFESSORA LEDA TAJRA - ANEXO JUCARA
BURITI BRAVO
MA
396,55
Estadual
EMEIEFCNNM LIDIA CABRAL DE SOUSA
AGUIAR
PB
396,69
Municipal
EEEFM - GETULIO PIMENTEL LOUREIRO
SERRA
ES
396,81
Estadual
EE DR ALFREDO CASTELO BRANCO
ALEM PARAIBA
MG
396,98
Estadual
CE LUCAS COELHO
BENEDITO LEITE
MA
397,20
Estadual












quinta-feira, 22 de novembro de 2012

MEC divulga resultado do Enem 2011

 O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta quinta-feira as notas das escolas públicas e privadas que tiveram alunos inscritos na edição de 2011 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Apenas instituições de ensino com mais de 50% de participação e o mínimo de 10 alunos foram consideradas.

A previsão era que os dados do exame do ano passado fossem divulgados na próxima segunda-feira, mas, de última hora, o MEC resolveu antecipar o anúncio e marcou uma entrevista coletiva com o ministro Mercadante. A divulgação do desempenho seguiu o modelo já adotado no ano passado, quando foi criada uma divisão das escolas em grupos de acordo com o percentual de participação na prova.
Com cerca de 5,3 milhões de inscritos, o Enem de 2011 foi aplicado nos dias 22 e 23 de outubro daquele ano. A edição do exame foi marcada pelo vazamento de questões em uma escola particular de Fortaleza (CE), já que alunos tiveram acesso antecipado a perguntas da prova, utilizadas em um pré-teste aplicado pelo Inep no colégio. Apesar do vazamento, o exame não foi cancelado, apenas os estudantes da escola precisaram fazer uma nova prova.
 Veja a relação por escola no site do MEC.
  
Veja o resultado em Pedreiras:
Colégio Batista - 537 pontos
Colégio São Francisco - 535 pontos
Colégio Corrêa de Araújo - 496 pontos.
C. E. Oscar Galvão - 443 pontos
C. E. Caic - 429 pontos
C. E. Olindina Nunes - 420 pontos

FONTE: Site Terra. com.br

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.